Meu carrinho de compras
Carrinho Vazio

QUEIJO CAPITAL ALAGOA CAPITALZINHO - PEÇA APROX. 500G

Data de lançamento: 12/07/2022
Lançamento
0 Opiniões

Não disponível

Enviar
Avise-me quando estiver disponível
Descrição Geral

CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO:

ITEM: Queijo Alagoa Capitalzinho Tradicional

TEMPO DE MATURAÇÃO NO DIA QUE FOI EMBALADO A VÁCUO: 21 dias

CARACTERÍSTICAS: Queijo de leite Cru, massa compacta, sabor típico dos queijos de Alagoa, que remetem ao Queijo tipo Parmesão, porem suave devido ao seu pouco tempo de maturação.

ORIGEM: Alagoa -MG

PESO APROXIMADO: 500g

VALIDADE A PARTIR DA DATA DE FABRICAÇÃO: 6 messes

PRODUTOR: Lourenço Martins de Barros , Produtor Rural

IPR:00.1598629.00-38

HARMONIZAÇÃO: Devido a sua versatilidade esse queijo cabe em diversas ocasiões, pode acompanhar vinhos de leves a médio corpo, cervejas fáceis e pouco complexas também cabem muito bem com esse queijo.

SUGESTÃO DE CONSUMO: Pode ser servido como aperitivo, degustado com o Café, ralado em cima de uma massa, como recheio de lanches e pizzas.

Ficha técnica
Código 610
Estoque 0
Categoria QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA
Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
Mais Informações:

QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA

O Queijo Artesanal de Alagoa se assemelha a um parmesão italiano mas conserva em si notas de um terruá único, característico da região mais alta da Serra da Mantiqueira. É um queijo para ser degustado com calma e com alma, sabendo que dentro de cada mordida existe muita cultura e muita história do nosso povo e do nosso país. É uma jóia rara, premiada nacional e internacionalmente, que merece todo nosso respeito e carinho.

 

O Queijo Artesanal de Alagoa é um queijo produzido artesanalmente, com leite cru, exclusivamente dentro dos mais de 130 laticínios da cidade de Alagoa no estado de  Minas Gerais. A fabricação do Queijo Artesanal de Alagoa deve respeitar as normas técnicas determinadas dentro do "Estudo de Caracterização Integrada do Município de Alagoa como Produtor de Queijo Artesanal" elaborado pela EMATER-MG e em breve os produtores deverão receber o selo de Identificação Geográfica e de Denominação de Origem, que garantem a exclusividade e originalidade do Queijo Artesanal de Alagoa.

 

Ao comprar o Queijo Artesanal da Alagoa você prestigia anos de tradição, o trabalho de muitas famílias rurais e ajuda a dar continuidade ao lindo trabalho de produção artesanal de alimentos que leva iguarias da roça para a mesa da sua casa. 

 

HISTÓRIA DO QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA - MG

Em meados de 1920, o imigrante italiano originário de Parma e recém chegado ao Brasil Paschoal Poppa se estabelece na cidade de Alagoa nas Terras Altas da Serra da Mantiqueira de Minas Gerais e lá ele encontra as condições climáticas ideais para iniciar a produção do que viria a ser hoje o famoso Queijo Artesanal de Alagoa.

 

A centenária tradição queijeira na cidade de Alagoa começou com a produção de queijos feitos em um pequeno laticínio sob o comando de Poppa. A receita do queijo italiano Parmigiano Romano foi a utilizada no início da fabricação dos queijos e esta deu origem ao Queijo Artesanal de Alagoa que hoje se assemelha muito a um parmesão.

 

Mesmo trazendo a receita e a forma de fazer da Itália, o queijo produzido em Alagoa possui suas próprias características. A pastagem, as condições climáticas, o solo, a água e as pessoas de Alagoa dão nota a um terruá único, presente somente no Queijo Artesanal de Alagoa.

 

COMO É FEITO O QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA?

Em 2020 a cidade de Alagoa foi identificada pelo Governo do Estado de Minas Gerais, através do IMA, como Município Produtor do Queijo Artesanal de Alagoa. Esta identificação permite que os produtores de queijo de Alagoa solicitem o selo ARTE, que regula a venda de produtos artesanais em todo território nacional, e o registro de Indicação Geográfica (IG) e Denominação de Origem (DO), que são conferidos pelo INPI a produtos que são característicos do seu local de origem, o que lhes atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de os distinguir em relação aos seus similares disponíveis no mercado. São produtos que apresentam uma qualidade única em função de recursos naturais como solo, vegetação, clima e saber fazer.

 

Para que a cidade recebesse a identificação de Município Produtor de Queijo Artesanal de Alagoa a EMATER - MG realizou o Estudo de Caracterização Integrada do Município de Alagoa como Produtor de Queijo Artesanal e este documento contém a orientação sobre a forma como o queijo artesanal da Alagoa e regulamenta como este deve ser produzido.

 

O Queijo Artesanal de Alagoa é feito a partir do leite de vaca cru e sem aditivos químicos. O leite deve ter teor de gordura entre 2 e 2,5% e oriundo de vacas do próprio laticínio ou de um fornecedor devidamente registrado e fiscalizado pela Vigilância Sanitária local. O leite deve ser obtido através de ordenha manual ou mecânica e filtrado em tecido sintético higienizado para uso na fabricação do queijo. Após a filtragem o leite é colocado nos tachos e é adicionado o coalho. Após aproximadamente 40 minutos é realizado o corte da massa e é acrescido o fermento lácteo (soro fermento). Em seguida a massa é cozida a 48 graus por aproximadamente 45 minutos até atingir o ponto e posteriormente é feita a retirada do soro. Com a massa pronta e sem o soro, ela é enformada e segue para prensa que dura aproximadamente 24 horas. As peças cilíndricas são retiradas da forma e colocadas em uma salmoura durante 1 dia por quilo de massa. Retiradas da salmoura, as peças de queijo maturam por 14 dias obrigatoriamente. Pela regulamentação o Queijo Artesanal de Alagoa não pode ser comercializado com menos de 14 dias de cura. Após esse período o queijo vai para o processo de afinação que resulta numa enorme variação de sabores, cores e texturas.

 

QUAIS SÃO AS VARIAÇÕES MAIS COMUNS DO QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA?

Os Queijos Artesanais de Alagoa podem ser encontrados em diversas formas. Eles variam conforme o seu tamanho, maturação, sabores e utilização.

 

Quanto ao formato comumente encontramos os Queijos Artesanais de Alagoa nas seguintes apresentações:

*Peça Inteira (variam de 500g a 15 kilos, podendo serem maiores em raras exceções)

*Meia peça

*Cunhas (pedaços de peso variado, resultado do fracionamento de peças maiores)

*Kit com 2 ou 4 cunhas com diferentes tipos de variação

 

Os queijos são comercializados nas mais diversas maturações, podendo serem encontrados mais frescos, com a maturação mínima obrigatória de 14 dias, ou com até 400 dias. Quanto mais maturado, maior a peça deve ser e mais potentes ficam os sabores e aromas do queijo. Queijos menores maturam mais rapidamente, chegando ao estágio mais duro em menos tempo, não permitindo a maturação mais longa como nas peças maiores. Quanto maior a maturação, mais amarelado o queijo fica, os sabores e aromas ficam mais potentes e picantes e a textura vai ficando mais dura e granulosa.

 

Ao longo do tempo os produtores diversificaram as suas criações e produzem hoje, na maioria das propriedades, os queijos nas versões:

*tradicional

*capa preta ou capa vermelha

*banhado em vinho seco

*banhado em café

*defumado

*temperado com pimenta e ervas 

*banhado no azeite com ervas

Ainda é possível encontrar o Queijo Artesanal de Alagoa já moldado em forma de panela para o uso no preparo de massas.


 

COMO CONSERVAR O QUEIJO ALAGOA DE ALAGOA EM CASA?

Reunimos algumas recomendações fornecidas Engenheiro Agrônomo Júlio César Fleming Seabra, no site da Aprocan - Associação dos Produtores de Queijo Artesanal da Alagoa, a respeito deste tema, as somamos às nossas experiências e compartilhamos aqui as melhores práticas de conservação do seu Queijo Artesanal de Alagoa

 

A maneira de conservar o seu Queijo Artesanal de Alagoa vai depender do resultado que você gostaria de obter na sua peça. Independente do seu objetivo, ao receber seu queijo, retire-o da embalagem plástica original, descarte o soro (se houver) e lave-o em água corrente limpa e filtrada. Seque-o com um papel toalha e deixe-o em uma tábua de madeira, coberto por um pano limpo, respirando por duas horas antes de realizar os procedimentos abaixo.

 

Se você pretende conservá-lo mais próximo da maneira como o adquiriu, você poderá guardá-lo em um pote plástico com fechamento hermético ou envolvê-lo em um filme plástico. Após acondicioná-lo corretamente ele deverá ser colocado na parte baixa ou menos fria da sua geladeira.  A temperatura ideal é de 8 a 12 graus.

 

É importante reforçar que o queijo continuará seu processo natural de maturação, mas de forma mais lenta do que quando não refrigerado. Além disso, recomendamos que todos os queijos fracionados sejam guardados da maneira como recomendado acima para garantir a qualidade do seu queijo. Na hora de consumir seu queijo, deixe-o atingir a temperatura ambiente para degustá-lo em sua melhor forma.

 

O Queijo Artesanal de Alagoa é ideal para ser maturado em casa, lembrando que recomendamos que a maturação caseira seja feita somente com peças inteiras, fechadas na sua própria casca. Além disso, se as temperaturas do ambiente atingirem mais de 20 graus, sugerimos que a conservação seja feita na geladeira. 

 

Escolha um local fresco e protegido da luz solar direta. Acomode a sua peça num maturador telado ou em uma tábua de madeira coberta por um tecido tipo fralda, um pano de queijo ou pano de prato. Vire o queijo a cada dois ou três dias para que a peça mature dos dois lados por igual. 

 

A maturação é um processo natural de transformações químicas e físicas que ocorrem no queijo alterando o aroma, textura e sabor. O tempo de maturação ou cura vai depender da sua preferência, quanto mais tempo o queijo curar, mais picante e potente será o sabor e aroma e mais dura a sua consistência. Dependendo do fungo colonizador, da temperatura, umidade e tamanho do seu queijo ele poderá ficar com consistência cremosa, quebradiça, granulosa ou dura. O tempo médio vai de 30 a 180 dias de maturação, mas nada impede de maturar por mais tempo, podendo chegar a seis meses. No final do processo, seu queijo apresentará uma fina camada branca ou esverdeada sobre a casca, isso é normal, são os fungos colonizadores que promoveram a maturação. Você poderá raspar com uma faca, passar um papel toalha ou pano exclusivo para o seu queijo umedecidos em água ou salmoura ou mesmo lavá-lo com água corrente limpa e filtrada e uma escovinha esterilizada para retirar o mofo superficial.

 

Vale ressaltar que todos os panos utilizados no cuidado com o queijo deverão ser exclusivos para este fim e a lavagem deles deve ser feita somente com sabão neutro ou de coco, sem amaciantes e alvejantes. Todo produto químico usado no pano (sabão, aromatizante e amaciante), poderá interferir na maturação, aroma e sabor do seu queijo.

 

 

MEU QUEIJO MOFOU, O QUE FAZER?

Os queijos artesanais de Alagoa são todos mofados! Exceto o queijo mais fresco, que não pode ser comercializado fora da cidade de Alagoa, todos os queijos possuem fungos que atuam no processo de maturação do queijo. 

 

Se um mofo branco aparecer na casca do seu queijo não se preocupe, umedeça um pano ou papel toalha em água mineral com sal (salmoura) e passe no seu queijo até completa remoção do mofo. Guarde-o novamente e siga com a conservação na geladeira ou maturação em temperatura ambiente conforme as recomendações aqui.

 

MEU QUEIJO SOLTOU ÁGUA, O QUE FAZER?

Fique tranquilo se seu queijo Artesanal da Alagoa soltou um soro dentro da embalagem original a vácuo. É normal o queijo soltar um soro no processo de maturação. Ao receber seu queijo, retire-o da embalagem plástica original, descarte o soro  e lave-o em água corrente limpa e filtrada. Seque-o com um papel toalha e deixe-o em uma tábua de madeira, coberto por um pano limpo, respirando por duas horas antes de realizar os procedimentos de conservação recomendados aqui. 

 

POSSO CONGELAR O QUEIJO ARTESANAL DA ALAGOA?

Idealmente o queijo artesanal de leite cru não deve ser congelado. O processo de congelamento interfere na textura e na maturação do queijo, comprometendo a sua estrutura e sabor. Além disso, o queijo artesanal é um alimento vivo que evolui com o tempo e se relaciona com o ambiente, o seu congelamento irá interromper esse ciclo e o queijo perderá sua melhor característica.

 

Porém, aqui nós gostamos de experimentar e já congelamos o queijo artesanal da Alagoa com maturação de 15/20 dias e acreditamos que ele ainda fique gostoso para usar ralado. Ele não tem toda sua potência, perde seu aroma e fica muito menos saboroso, mas não fica ruim ou estragado. Costumamos congelar quando viajamos ou quando nos damos conta que temos muitas peças para consumir e não vamos dar conta! Porcionamos em pedaços pequenos, suficientes para uma receita ou duas e embalamos em plástico filme e depois em sacos herméticos tipo Zip Loc. O descongelamento deve ser feito de forma lenta na geladeira e consumido em no máximo 24 horas. 

 

Ressaltamos que o Queijo Artesanal de Alagoa não deve ser comprado para congelar, ele merece ser consumido na sua melhor forma. Utilize o recurso somente quando necessário para evitar perdas e desperdício na sua casa!

 

COMO CORTAR O QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA?

Lascas

Com uma faca grande sem serra, corte toda a extensão do queijo até aproximadamente 1,5 centímetro de profundidade e ?quebre? a peça ao meio verticalmente ou retire uma tampa central da peça inteira. Faça lascas rústicas cavucando o centro da meia peça ou o topo da peça inteira sem tampa com uma faca em forma de gota. Para uma melhor experiência, mergulhe as lascas no azeite, balsâmico ou mel.

 

Para lascas mais finas e delicadas, corte uma cunha do queijo e utilize uma lâmina apropriada para lascas. Uma alternativa para conseguir o resultado das lascas finas é utilizar o descascador de legumes ou fatiador de queijos manual, aquele em formato de espátula com uma lâmina no meio. As lascas mais finas ficam deliciosas em saladas e para a finalização de pratos.

 Pedaços Regulares

Corte a sua peça em oitavos (cunhas) e fatie as cunhas em triângulos finos. Desta forma cada fatia terá as nuances de sabor do centro do queijo até a sua casca, conferindo uma experiência sensorial muito mais completa. Este corte é ideal para compor tábuas e servir o queijo com doces e geleias.

 

Ralado

O Queijo Artesanal de Alagoa é ideal para finalizar pratos de origem italiana e para gratinados. Para finalizar pratos rale em um ralador mais fino e para gratinados e receitas um ralador mais grosso.

 POSSO COMER A CASCA NATURAL DO QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA?

As cascas naturais do queijo são comestíveis e quanto maior a sua maturação mais dura elas serão. O que vai determinar a possibilidade de comê-las é a textura mais dura ou mais mole, permitindo ou não a mastigação. Usualmente, as cascas mais duras são raladas e utilizadas para finalizar pratos e gratinados.

 

POSSO COMER A CASCA PRETA E VERMELHA DO QUEIJO ARTESANAL DE ALAGOA?

Tanto a capa preta quanto a capa vermelha são formadas a partir de resinas líquidas passadas com um pincel por fora do queijo. Elas criam uma película protetora no queijo, ajudando a concentrar seus aromas e sabores. Os queijos cobertos com a capa preta ou vermelha ficam mais úmidos e com uma coloração mais clara em seu interior devido a proteção criada pela película. Essa película NÃO é comestível, antes de degustar seu queijo é necessário removê-la com uma faca e descartá-la.

 

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

*Imagens ilustrativas. 
**Alterações e variações no aspecto são naturais, afinal trata-se de um produto genuinamente artesanal.
** O peso das peças de queijo pode sofrer alterações, informamos aqui o peso aproximado de cada peça.

 

 

Produtos visitados